Usuário:

Senha:


Esqueci a Senha!    
Cadastrar-se    



8465364  visitas
Desde 15/10/1999
usuários on-line: 80

 

   Páscoa: Sua Origem e Sua Atualidade

            Eis a razão da fé dos cristãos: a Páscoa, passagem da morte para a vida. Cristo vence porque ressuscitou, Ele vive novamente, e agora é para sempre.

            Se observarmos as principais razões que deram origem ao cristianismo encontraremos de imediato, no anuncio dos apóstolos (Cf. At 3, 12-15; 1Cor 15, 1-11), o fundamento primeiro: ‘Cristo ressuscitou dentre os mortos’. Esta foi a Boa Nova (=Evangelho) que levou muitas pessoas a seguirem Jesus, e esta também deveria ser a principal razão para seguir Cristo hoje, como Igreja atual.

            Então, pergunto, para seguir Jesus Cristo basta apenas esperar a morte para ressuscitar com Ele? Para enfrentarmos esta pergunta é preciso buscar, em linhas gerais, o significado originário de Páscoa, assim entenderemos o que ela realmente significa atualmente.

            Se olharmos e estudarmos o capítulo 12 do livro do Êxodo (=saída), encontraremos aí o relato da Páscoa dos judeus. Estes, os judeus, se encontravam no Egito, e viviam numa situação de escravidão. Deus, através de Moisés, quer proporcionar a libertação do povo por Ele eleito. A Páscoa então acontece, e neste momento ela tem como significado: ‘a passagem de uma vida escrava para uma vida liberta’. Todos os anos seguintes fazia-se memória de tal libertação, chamada de Páscoa. Esta memória da Páscoa é comemorada até os nossos dias pelo povo judeu.

            Jesus também comemorou a Páscoa judaica (Cf. Mc 14, 12-25). No entanto, na última ceia, Cristo anuncia a nova Páscoa, diz aos apóstolos que Ele deve morrer, porém ressurgirá a vida após três dias de sua morte. Cristo se torna o sinal, a nova aliança feita entre Deus e os homens, da nova Páscoa, que tem praticamente o mesmo significado da primeira páscoa judaica: ‘a passagem da morte (vida escrava) a vida (vida liberta)’.

            É claro assim, que para seguir Jesus é preciso crer na ressurreição, mas não crer somente na ressurreição que virá após a morte, pois isso seria insuficiente para dar o testemunho de Cristo. É preciso também crer que a ressurreição se faz no dia a dia ainda enquanto vivos. Como? Toda vez que fazemos a passagem de algo que nos proporciona a morte, a escravidão a algo que nos gera vida, liberdade. Por exemplo: Quando temos um relacionamento não muito bom com nossos pais e buscamos melhorá-lo, estamos buscando esta passagem da morte, neste caso ocasionada pelo não-diálogo, para a vida, o diálogo. Com isso estaremos dando um legítimo testemunho de que vale a pena crer na ressurreição de Cristo, e de que vale a pena ser discípulo seu.

            Logo, a Páscoa é um fato que acontece o ano todo, pois sempre podemos realizar tal passagem da morte para a vida, não ficando restrita apenas à Semana Santa.

Fabio Camilo Biscalchin






Envie este artigo para um amigo Imprimir este artigo Comentários









Voltar para a página anterior