Usuário:

Senha:


Esqueci a Senha!    
Cadastrar-se    



8220485  visitas
Desde 15/10/1999
usuários on-line: 196

 

   Ano novo, vida nova?

A época da virada é sempre marcada, em maior ou menor grau, por certa reflexão. É quando paramos para dar uma última olhadinha para trás, e quando nos abrimos esperançosos para os dias que virão, como se o simples fato de trocarmos nosso velho calendário por um novo, pudesse nos tornar pessoas diferentes, melhores, mais felizes talvez.

Que tal desta vez fazer diferente?

Não que não possamos ser mais felizes, mas não é o passar do tempo que vai fazer isso acontecer, e sim algo dentro de nós que decida que é tempo de mudança.

Preste atenção, algo dentro de você deve, de verdade, decidir que você vai mudar. O que acontecerá no seu próximo ano, acredite, não vai depender da cor da sua calcinha, não vai depender do que você vai comer, de uvas, lentilhas, lacinhos, flores, velas... nem de nada assim. Vai depender, isso sim, de quem você escolherá ser por dentro. Vai depender da sua coragem de abandonar pensamentos e atitudes negativos, que vem lhe fazendo mal, vai depender da sua criatividade em se permitir ser maior, vai depender da sua ousadia de arriscar ser alguém diferente do conhecido e ir para além da mera repetição.

Vai depender das suas atitudes!

Sim, porque não basta "ter uma boa intenção". A vida está passando, e podemos seguir infelizes até o seu fim, apenas cultivando boas intenções.

Intenção sem ação = Mera Repetição

É preciso que as boas intenções se tornem ações, se tornem as sementes com que semeamos nosso novo caminho.

Eu tenho muitos amigos que gostam de fazer listas no final do ano. Até acho que é uma idéia interessante e útil. Quando colocamos as coisas no papel, lhes conferimos corpo, é como se as tornássemos mais reais, e portanto mais poderosas. Mas o que acontece é que muitas vezes fazemos listas de 'intenções' e esperamos que alguém faça aquilo tudo acontecer . Quem?.... um anjo? ... um mestre iluminado?... um parente milionário?

Sei lá!!!! Pensamos, mas 'alguém' tem que fazer isso dar certo!!! (nem nos passa pela cabeça que aquela é a NOSSA lista e que somos nós que precisamos lutar para que ela se torne real).

É claro que ao fazermos isso, ao delegarmos a outros aquilo que é nossa tarefa de vida, estamos manifestando a nossa Criança Interna, que espera ingenuamente ser cuidada e salva, e que não se sente capaz de realizar de verdade aquelas coisas que pedimos.

Não que a sua criança não possa, ou não deva, escrever a sua listinha no final do ano! Mas que os seus pedidos da criança sejam coisas como 'brincar mais', 'rir mais', 'passear mais', e por aí vai!

Quanto aos outros pedidos, não os entregue nas mãos da sua Criança. Você precisa de toda a sua força adulta e sábia para de fato mudar as coisas para melhor. A mudança não acontece sozinha. Você a faz acontecer, porque se compromete com ela, porque segue ao seu próprio lado, dia após dia, atento, lutando por esse novo Ser.

Aqui vai uma dica para quando você for fazer a sua reflexão ou lista para o próximo ano:

Antes de começar, em silêncio, procure pelo lugar sagrado que existe dentro de você. Saia um pouco da agitação do dia-a-dia, dê a você espaço para um contato com a sua sabedoria, com o seu Eu Superior. Faça um retrospectiva do seu ano, deixe que as imagens passem por sua mente, não tente controlar, apenas observe. E então imagine como gostaria que fosse o seu próximo ano. Veja as situações em que gostaria de estar envolvido, veja as pessoas que quer ao seu redor, imagine que tudo aquilo que tenha estado distorcido em sua vida possa ser curado. Veja harmonia, crescimento e amor. Não 'pense' nessas coisas, procure 'visualizar' como se tudo isso já estivesse acontecendo. Você vai ver como se sentirá melhor só de fazer esse exercício.

Depois que fizer isso, então faça uma lista de quem você gostaria de ser no próximo ano, mas só escreva aquilo com o que você sentir que realmente possa se comprometer. É melhor uma lista de um único ítem com o qual você se comprometa do que uma imensa lista que você esquecerá aos quinze minutos de 2006.

Guarde essa lista como se ela fosse um mapa de um lugar que você queira muito visitar. Volte a lê-la no decorrer do próximo ano, principalmente nos momentos em que se sentir perdido. Permita que essa lista ajude você a se lembrar para onde você quer ir. Desejo a todos uma boa viagem!


Fonte: IG


Envie este artigo para um amigo Imprimir este artigo Comentários







Voltar para a página anterior